sexta-feira, outubro 17, 2008

JAN KMAM, O VAMPIRO



Sou Jan Kmam, imortal, vampiro.

Vivo dentro de um coração mortal,

Em cada batida e estremecimento.

Sou os olhos dentro da noite.

A mão gelada, a carícia mais ousada,

O intruso que invade seu leito na madrugada,

Dentro de teus sonhos proibidos,

Para trazer prazer, relaxe...

Estou aqui, junto ao leito olhando seu corpo sob a camisola,

Eu vim para dar prazer, e roubar tua paz...

Sou um ladrão de almas,

Meus beijos são mordidos e cruéis, tintos,

Mas o prazer é enorme.
Eu quero seu sangue e sua alma.

Sou um vampiro, mas sou um homem.

Jamais deixarei de ser o que deseja, minha rosa tinta.

Apenas sonhe comigo e deixe que eu torne tudo real,

Ela é minha senhora, sou seu escravo e seus cabelos negros,

Os cachos são minhas cadeias.

Eu te amo e ainda posso sentir seu sabor em minha boca.

Meu corpo ainda arde de desejo.

Tenho a suavidade de sua pele sob meus dedos.

E quando lembro que a tive plena e nua, estremeço;

Não posso te matar é minha amante, minha senhora.

Deixa que viva em seu coração, detrás de seus olhos.
Sou o desejo que arde em seu corpo,

A febre, o delírio que te arrasta do leito,

Que te leva a janela para fitar a noite buscando-me incansável,

Divagar sobre o papel e escrever meu nome mil vezes.

Eu sou o beijo descuidado, a suave carícia sobre teus lábios,

Não tenha medo de nosso segredo.

Minha fada, minha bruxa, minha vampira.

Sonho com você quando o dia desliza sobre nossa “ilha”.
E tudo que anseio é tê-la em meus braços dentro do caixão.

Dar-te-ei meu sangue, a mordida impregnada de imortalidade e fome.

Não me busque, eu sei onde está senhora de minha morte.

Fecho os olhos e sinto seu cheiro, o sabor de sua pele.

A carícia de teus seios junto ao meu peito nu,

A maceis dos teus seios me enlouquece...

Tuas ancas, a curva doce da cintura que insisto em morder,

Tuas mãos me buscando trêmulas e podem criar uma tempestade de sangue.
Ah!Mulher, vampira, bruxa maldita eu te amo!

Quero matar-te.

E seu último suspiro eu colherei com minha boca,

Morrerás em meus braços, deixa-me te levar comigo, dentro de minhas veias,

Pequenina, senhora de cachos negros, boca de botão, boneca de porcelana.

Nas trevas de meu mundo o meu olhar vai te iluminar.

Mas em troca quero ouvir as palavras que me negas, pequena teimosa!__“Eu te amo Jan Kmam”.

4 comentários:

Marília Mendes disse...

Uauuuu

Adorei! :)

bem que o próximo livro poderia ser narrado pelo Jan Kman. Jà pensou?

Nazarethe Fonseca disse...

Jan tem uma voz maravilhosa,e pensamentos incriveis.Já pensei nisso e talvez aconteça.

Bruna Toledo disse...

Amei!
Lindo mesmo!
Desculpa ter sumido, mas é que meu pc quebrou e aqui no trabalho só pode entrar escondido! hahaha
Beijos.

Thiago Assoni disse...

Jan Kman é simplesmente demais!Sou apaixonado por ele tão quanto Kara...Ou, talvez mais, quem sab?Aff, brincadeira, acho q não...

Enfim...

Realmente Jan é apaixonante!Edward Cullen???Pra quê???

Nazareth Fonseca, por favor...Explique-me uma coisa..."Kara&Kman-Uma saga de alma e sangue" não é a continuação de Alma&Sangue, né?...Queremos saber oq acontece com ela depois de ter sido lacrada na "arca"...E Victor, as "descobertas" dele??Se não for pedir muito, minha "Kara"...Explique-nos isso, pode ser???

Amo Alma&Sangue!!!!Sou simplesmente APAIXONADO pelo casal e por toda a sua história!!!!!

Parabéns!!!!

Thiago Assoni