domingo, novembro 16, 2008

Existe muita solidão



Tudo sumiu nada restou dos melhores dias de nossas vidas. Hoje é tudo um grande deserto. A doçura deu lugar ao amargor. E quando caminhamos pela noite existe muito pouco a ser descobriu, eu quero dias melhores.
Quero dias de noites sem fim. Eu sangro sozinha e pensando em voltar aos seus braços.
Mas não existem mais caminhos e tudo se foi com as noites perfumadas e sinto-me presa a lembranças que se foram com o sol que tudo destrói e muda.
Quero ser feliz novamente mesmo que isso custe minha vida.
Eu só não quer dizer adeus novamente, sentir essa solidão que tudo devora. E me devora junto com as lembranças derretendo meu mundo feito de cera e açúcar.
Frágil e suave como seus beijos em minha carne.E aqui está tudo tão vazio e não posso volta à noite onde você me chamava de meu amor.
Eu não posso mais viver sem você, seu doce olhar sobre mim. Apenas deixe-me ficar.
Eu posso suporta a solidão de sua vida feita de noites sem fim, o sol que é teu inimigo. Eu quero apenas ficar e achar um sentido para seu abandono.
Eu fui seu mundo por um tempo, hoje nada sou além de um velho amor.
E aqui dentro existe muita solidão.

4 comentários:

Rafael Guerra disse...

as vezes parece que voce adivinha...
voce descreve tao bem estes sentimentos...
é gratificante encontrar tais palavras, tais decrições tao perfeitas...

Nazarethe Fonseca disse...

Fico feliz de poder tocar sua alma de modo especial.bj

Rafael Guerra disse...

^^ eu q fico feliz em poder ter encontrado textos que realmente fazem jus aos sentimentos que descrevem

Bruna Toledo disse...

Concordo com o Rafael.
Nazarethe, no lançamento de Alma e Sangue II eu vou levar meus livros pra você assinar, e vcê vai ver tudo marcado com laranja da minha caneta fluorescente!
;*