sábado, novembro 15, 2008

Sonhos Lúcidos.




Quando ele falou pela primeira vez me perguntei de onde ele vinha?
Estava bem ali do meu lado, em meus ouvidos, sussurrando docemente. Espalhando seu perfume por meus cabelos enquanto os acariciava.
Bastava fechar os olhos, escrever, completar, incorporar sua alma na minha.Eu já sabia montar o quebra cabeça. Deixar fluir, me levar por seus desejos.
E lentamente ele se afastou e deixou-me a vontade para fazer o que bem quisesse. Liberdade para rabiscar e rugir, caminhar pelo mundo.E ele dizia:

-“Você consegue menina”.

Só, lembrando de seus belos olhos, do modo como caminha, e move os lábios sobre os meus eu prossigo.
Sempre que sentamos para conversar no salão, sinto-me em casa, mesmo ela sendo dele. Visto as roupas que ele comprou as jóias que suavemente põem sobre meu colo.
Juntos no espelho,sorrindo,trocando beijos e sussurros... E deitada no divã, coberta de veludo e paixão eu o escuto murmurar meu nome num misto de ânsia e prazer.
Sou dele, só sua, e quando tudo mais frasca e me decepciona no mundo, ele abre os braços para me receber.
Eterno como o tempo, lúcido como o universo e caótico como a fome.

“-Estou aqui.-murmura o vampiro.-Sempre estarei,sempre”.

Despertei. Foi um sonho, a mão procura algo debaixo do travesseiro e a lanterna do celular ilumina o caderno de notas. E antes que o sol apareça já estou dormindo novamente, eu sou mortal.

Um comentário:

Bruna Toledo disse...

Já sei! (acho)
Quando a mortal fala seria no casa Alma?
E quando a imortal se pronuncia é Kara?
*-*