sábado, dezembro 13, 2008

Conte os dias


Conte para mim. Devagar, nos dedos, nos muitos séculos que viveu.Conte as estrelas dos céus que viu enquanto bebia o vinho da vida.

Nas moedas, nas muitas rainhas que viu. Dentro dos incontáveis dias de sangue e glorias das guerras que arrastaram os homens para a ruína e a morte.

Conte para mim quanto tempo faz. Devagar, dos dedos quantos beijos meu dedo, quantas vezes renasci.

No oceano tem mais caminhos que na terra. E tudo é brisa salgada quando se chova de solidão. Haverá menos dias para contar, menos coisas para lamentar e esperar, eu creio.

Estou dentro do tempo, da brisa que toca sua face e quando você resolve me olhar eu posso sentir que a eternidade não pode, não deve ser jamais contada.

Nos dedos da mão, nas estrelas do seu, nos desejos que guardo dentro de minha alma. Nos sorrisos que me dá,nos sussurros que ouvirei.

Conte meu amor,falta pouco.

2 comentários:

Bruna Toledo disse...

Ahhh!
"Nos sorrisos que me dá, nos sussurros que ouvirei..."

Posso citar isso no meu livro? *-*

...............................dri! disse...

Lindissima poesia... gosteii
otimo fim de ano... bom natal e feliz ano novo =D