quinta-feira, fevereiro 19, 2009

Estou por ai!

Estou por ai, meio irritada com as coisas que sempre são lentas e se repetem, não liguem, esticar as cordas do violino para mim é um grande prazer.

Adoro quando ele me dá ouvidos e diz que sou o amor dele. Coisa rara, ele me dá amor em doses homeopáticas, de certo tem medo de uma super dosagem. Entendo pouco, mas sinto o bastante para saber que tudo vai ficar bem melhor.

Eu posso perder a razão, mas sempre está com ela. É egocentrismos querer que tudo funcione certo a sua volta?

Esqueça a filosofia, é coisa complicada, todos os filósofos que conheço estão de barbas brancas e carecas e já morreram. Acho que conheço pouca gente.

Minha mente foge sempre de mim, ela teme os caminhos que percorro sozinha, os melindres a que me disponho, às fantasias proibidas que sozinha vou tecendo como uma aranha. Ah! Não entre se tem medo do escuro.

O que não posso ter, eu possuo mentalmente. Encho páginas inteiras com delírios e taras... Manias, fetiches e desejos inconfessáveis. Às vezes me deixo ficar muito quieta, é preciso minha mente é uma arma perigosa.
Outro dia fiquei sentada e quando percebi já estava na esquina, vagando por uma cidade que conheço intimamente, mas que quero provar inteira. Descalça na beira da praia fitando ondas, sentindo o sal do mar sobre meus lábios.

Eu te visito em sonhos, te beijo e quando se meche inquieto eu espero. A paciência é um dom que conquisto com muito treino e amarada numa cadeira. Detalhe, eu prefiro correntes, as cordas eu já roí.

Estou por ai, se quer saber de verdade. Pois a localização é o que menos importa, se você tem a mente livre e a alma bem leve. Para que se faça entender, tudo que dá prazer é bem-vindo, desde que não faça mal a ninguém.
Eu realmente estou por ai, basta você prestar atenção.

Um comentário:

Bruna Toledo disse...

"Às vezes me deixo ficar muito quieta, é preciso minha mente é uma arma perigosa."

Verdade verdadeira.

;*